5 de mai de 2011

INTRODUÇÃO AO ESTUDO TEOLOGICO
Este comentário é apenas a introdução e dois capítulo de uma das 24, apostilas de 60 a 96 pagina do curso de Teologia.

Por que estudar teologia? Apenas me ensinar a Bíblia. Isto diz os cristãos comuns, a teologia pode soar para eles como algo complicada, confusa, frustrante e completamente irrelevante. Por que precisamos estudar teologia? Pois qualquer um pode ler a Bíblia.
O Estudo de Teologia: Não é só estudar a Bíblia, ou sobre um livro da Bíblia, ou sobre um personagem Bíblico, ou ainda sobre uma doutrina da Bíblia, é muito mais do que isto, é um estudo sobre o tema mais importante das Escrituras. A Bíblia é um livro fascinante, os seus personagens admiráveis, as suas doutrinas e ensinos são indispensáveis, mas acima de todas estas coisas nós precisamos conhecer Deus, o Autor deste livro.
Claro que não é possível conhecer Deus em toda a Sua dimensão por muito que estudemos e meditemos sobre Ele e Sua palavra, mas este estudo visa contribuir grandiosamente para o conhecimento de Deus. O conhecimento sobre Deus é algo muito importante, não podemos apenas chegar com no nosso próprio pensamento. A única maneira que podemos saber de toda a verdade sobre Deus é ouvir o que Deus nos diz sobre si mesmo. E o principal meio que Deus escolheu para se revelar a nós é através de sua palavra. As Escrituras Sagradas é uma coleção de escritos inspirados compilados ao longo de muitos séculos, sob a supervisão do Espírito Santo. Somente o estudo sistemático e diligente das Escrituras, nós transmitir o entendimento correto e verdadeiro sobre Deus.
Os benefícios do estudo teológico são indispensáveis: pois traz conhecimento básico prático e preciso; Jesus condenou a falta de conhecimento, quando ele próprio disse para os fariseus; errais não conhecendo as escritura e nem o poder de Deus, (Mt, 22.29).
1º- O conhecimento tem um valor imensurável, aos cristãos de um modo geral, veja um incentivo registrado na palavra de Deus deixado pelo o sábio Salomão, em 1.000 anos ante de Cristo: precisamente em Pv, 3,13-16; v 13. Bem-aventurado o homem que acha sabedoria, e o homem que adquire conhecimento; v 14 - Porque melhor é a sua mercadoria do que a mercadoria da prata, e a sua renda do que o ouro mais fino; v 15- Mais preciosa é do que os rubis; e tudo o que podes desejar não se pode comparar a ela; v 16 - Aumento de dias há na sua mão direita; na sua esquerda, riquezas e honra.

2º- O conhecimento é indispensável para nosso desenvolvimento e crescimento espirituais e ministeriais; pois há muitos cristãos com seus ministérios enterrados e bem raquíticos, não cresce não desenvolve, e nem tem novidade, toda vida é a mesma coisa. Nós precisamos crescer desenvolver e dar muitos frutos, pois Jesus disse: todo ramo em mim que, não der fruto, ele é cortado; e todo que dá fruto limpa, para que produza mais ainda. (João 15.2).
Mas algumas pessoas se desculpam dizendo já estou velho não dou conta de fazer nada; vejamos o que diz a palavra de Deus para estas pessoas em (Sl 92. 13.14) Os que estão plantados na casa do SENHOR florescerão nos átrios do nosso Deus; na velhice ainda darão frutos; serão viçosos e florescentes, para anunciarem que o SENHOR é reto; ele é a minha rocha, e nele não há injustiça.
3º- Crescer é necessário, pois esta é a recomendação da palavra de Deus, vejamos o que diz a palavra de Deus em (I Samuel, 2.26). E o jovem Samuel ia crescendo e fazia-se agradável, assim para com o Senhor, como também para com os homens.
Em (Lucas, 2.52), diz. E crescia Jesus em sabedoria, e em estatura, e em graça para com Deus e os homens.
E em II Pe 3,18. Antes, crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. E ainda em (Ef, 4,15) Mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo.
4º- Esse conhecimento abre-nos, novos horizontes, como novas perspectivas em nossa caminhada ministerial, novas visões, novas mensagens; pois em regra geral a falta de mensagem impede o crescimento ministerial.
Vejamos um exemplo desse fato que nos mostra está verdade em (II Samuel, 18,22). E prosseguiu Aimaás, filho de Zadoque, e disse a Joabe: Seja o que for, deixa-me também correr após o Cuxita. E disse Joabe: Para que agora correrias tu, meu filho, pois não tens mensagem conveniente?

Pois bem meus caros leitores à falta de mensagem em alguns casos tem sido um empecilho ao desempenho no ministério cristão.
5º- O conhecimento nos dá autoridade na Palavra de Deus; é diferente quem prega sem conhecimento; é fácil ser notado pelo povo. Quem tem obediência, oração, vida com Deus e conhecimento, sua mensagem tem vida, autoridade, poder, graça e unção.

Vejamos em (Mt, 7, 28,29); v 28 Quando Jesus acabou de proferir estas palavras, estava às multidões maravilhadas da sua doutrina. (v, 29). Porque ele as ensinava como quem tem autoridade e não como os escribas. E em (Lc, 4, 31,32) v 31. E desceu a Cafarnaum, cidade da Galiléia, e os ensinava no sábado. v 32 E muito se maravilhavam da sua doutrina, porque a sua Palavra era com Autoridade.
6º- Também o conhecimento nos dá respaldo na interpretação e explanação da Palavra de Deus, é necessário conhecer a história dos Judeus; que diretamente foram eles os autores da revelação escrita.
E através deste estudo temos uma visão geral da história dos judeus, da origem das Sagradas Escrituras. Isto facilita tanto a nossa compreensão, como também é necessário para que assim possamos ensinar corretamente a palavra de Deus.

A Teologia Própria: Concentra os ensinamentos doutrinários sobre a Pessoa de Deus. A Bíblia é um livro de doutrinas sábias e verdadeiras, oferecidas pelo Espírito Santo ao homem. Somente o Novo Testamento faz referência à doutrina cerca de 400 vezes, número suficiente para expressar a relevância dessa matéria a qualquer estudante da Bíblia. Pois estudar Teologia é estudar o próprio Deus através da verdadeira revelação, todo aquele que se propõe a fazê-lo deve estar possuído de um espírito de humildade.

Sem a revelação da Bíblia não pode haver conhecimento de Deus, o que é necessário para render-lhe culto aceitável.
Conhecer Deus começa através do estudo sobre sua pessoa e seus Atributos, Deus possui muitos atributos, e a maioria deles só pode ser exclusivamente atribuída a Ele, outros podem ser encontrados de maneira limitada e num sentido relativo, também nos homens. Tem um capítulo que fala sobre os atributos de Deus.

Deus é Imutável, Invencível, Imortal, Infinito, Imenso Independente; Ele é Eterno, tem Auto-Existência é Supremo, é o Todo Poderoso, Onisciente, Onipresente, Onipotente, Soberano Glorioso, Misericordioso, Zeloso, Sábio, Santo, Justo, Reto, Único e vivo.

A Bíblia de tal maneira enfatiza o nome de DEUS que ninguém pode ignorar que ele mesmo disse: EU SOU O QUE SOU. Yhwh - Shammah: O Senhor está ali, conforme em Ez 48.3. O nome Yhwh - Shammah era como o povo chamava Deus no Antigo Testamento era muito usado por Abraão e Moises era um nome tão sagrado que os verdadeiros adoradores não pronunciavam com freqüência.

Os nomes de Deus são: El Elyon' (O mais Elevado), El Shaddai (O Elevado Todo-Poderoso), El Hai (O Elevado Vivo), El Ro'i (O Elevado que Vê).
Deus: é um Ser Existente por si mesmo Infinito Supremo Criador, administrador e conservador do universo: o seu Nome é ELOHIM, ELOAH, JEOVA, EL e ADONAI. No grego, o nome DEUS é THEOS e Senhor no grego é KURIOS.
Jeová, Javé, Yaveh, ou Yhwh: Para alguns estudiosos da literatura judaica, esse é o verdadeiro nome de Deus era um nome impronunciável, e segundo a explicação cientifica dos judeus, passou a não pronunciar o nome do Deus Todo Poderoso, porque se sentiam temerosos em transgredir o terceiro mandamento de Deus no Decálogo, que diz: "Não tomarás o nome de YHWH, teu Deus, em vão, ou "dum modo fútil", blasfêmia, pois YHWH não considerará impune aquele que tomar seu nome em vão." Êxodo 20.7
Assim, em determinado período, surgiu entre os judeus uma idéia superticiosa, de que era errado pronunciar Yhwh. Outro conceito sustenta que se pretendia com isso impedir que os povos não-judaicos os gentios conhecessem o Nome Yhwh e possivelmente usassem "dum modo fútil", e blasfêmasem de Deus.

Mas, pelo contrário os documentos hebraicos não-bíblicos, tais como as chamadas Cartas de Laquis (escritas em fragmentos de cerâmica encontradas em Tell ed-Duweir em 1935, e outras três em 1938), mostram que YHWH era usado na correspondência comum na Palestina na última parte do Século VII,a.C.
Também o Antigo Testamento afirma que o próprio Yhwh faria com que Seu nome "fosse declarado em toda a Terra", para ser conhecido até mesmo dos seus adversários. (Êxodo 9.16; Isaías 64.2; Jonas 1.1,17).

O Nome do Deus de Israel era conhecido e usado até por nações pagãs (politeístas) tanto antes da Era Cristã como nos primeiros séculos dela.
YHWH – Elohim – Senhor Deus Criador do universo; criação, Gn 2.4.
YHWH - Yiré – Senhor Provedor, que proveu em Gn 22.14 – Isaque.
YHWH - Rafá – Senhor que Cura - em Gn 15.26 - Povo Israel.
YHWH – Nissi – Senhor é minha Bandeira em Ex 17.15 – Moisés.
YHWH - Shalom – Senhor da Paz –em Jz 6.24 - Gideão.
YHWH - Raah – Senhor é Pastor em Sl 23.1 – Davi.
YHWH - Tzedek – Senhor é Justiça em Jr 23.6 - Jeremias
YHWH - Tzevaot – Senhor dos exércitos em I Sm 1.3, II; Rs 6.13-17. Samuel, Eliseu.
YHWH - Shammah – Senhor está ali – em Ez 48.3 - Ezequiel.
EL Elyon – Deus Altíssimo – em Gn 14.18-22 – Abraão.
EL Roi – Deus que vê - em Gn 16.13 – Agar.
EL Olan – Deus Eterno em Gn 21.33 - Abraão.
EL Betel – Deus de Betel - Gn 31.13; 35.17 – Jacó.
EL Elohey – Deus de Israel em Gn 33.20 - Jacó.
EL Shaday – Deus Todo-Poderoso em Gn 17.1; Ex 6.3 - Abraão.

OS CINCOS PRINCIPAIS NOMES DE DEUS
1º- ELOHIM 2.700 VEZES
2º- JEOVÁ 6.828 VEZES
3º- EL 220 VEZES
4º- ELOAH\ ELAH 56 VEZES
5º- ADONAI 450 VEZES
Cada nome deve ser estudado apuradamente. Isto ajudará o estudante da Bíblia a conhecer mais e melhor o Senhor, conforme o preceito sagrado: ”conheçamos e prossigamos em conhecer ao Senhor” (Os 6.3).
O PRIMEIRO NOME DE DEUS É: ELOHIM, o Deus Criador: Este nome ocorre mais de 2700 vezes no Cânon, principalmente nos livros de Deuteronômio e dos Salmos.
• ELOHIM é normalmente traduzido por Deus e se refere ao Senhor na condição de criador e administrador do universo.
• Literalmente, ELOHIM é a forma pluralizada de ELAH ou ELOAH. Significa o poderoso, ‘’aquele que Põe o poder para fora ‘’. Também pode ser uma forma plural, daí se interfere a doutrina da trindade.
• ELOHIM é o vocábulo uni-plural e singular e também plural. Vem de EL (O Poderoso), e ALAH (jura). É o Deus que se compromete com juramento (Hb 6.13-18). O sufixo HIM em ELOHIM fala de pluralidade e comunhão. Entre Gn 1.1 e Gn 2.2, ELOHIM aparece cerca de 40 vezes. Na narrativa da criação do mundo, são descritos 10 atos específicos de ELOHIM, a saber:
• Ele criou
• Ele move-se
• Ele disse
• Ele viu
• Ele designou
• Ele separou
• Ele colocou.
• Ele fez
• Ele abençoou
• Ele completou

O SEGUNDO NOME DE DEUS É JEOVÁ o DEUS da Aliança: A palavra JEOVÁ se origina de uma tetragrama hebraica sem correspondente fiel em português relacionado com uma forma plena do verbo ser (ou estar) e que tem sido traduzido por Deus ou Senhor.
 • JEOVÁ é o nome nacional (e impronunciável) de Deus entre os judeus.
• Este nome ocorre cerca de aparece 6.828, vezes no original e expressa ao mesmo tempo a eternidade de Deus auto-existente bem como a revelação de Deus à criatura que ele deseja redimir.
• A palavra JEOVÁ inclui a presença e a ação de Deus nos Três tempos: passado, presente e futuro. Jeová é o Deus da aliança eterna (Ex 15.3; 6.3; Sl 9.10; Hb 13.8).
• O vocábulo Jeová ocorre pela primeira vez em Gn 2.4. É importante observar que Deus (Elohim), disse: “façamos o homem a nossa imagem e semelhança” (Gn 1.26), porém foi o Senhor Deus (JEOVÁ ELOHIM) que entrou em ação com o homem já criado (Gn 2.7).
• JEOVÁ veio a tornar-se o nome redentor da trindade, quando o pecado se introduziu no mundo e uma redenção se fez necessário foi o Senhor (JEOVÁ) a quem chamou o homem, buscou-o e cobriu a sua nudez (Gn 3.9-21; Rm 3.21-26).
 A magnífica e distinta revelação desse nome se deu quando Moisés foi certificado do propósito de Deus de libertar Israel da escravidão de Faraó (Ex 3.9).
• Como redentor JEOVÁ representa três grandes características:
• Santidade (Lv 11.44,45 19.1.2; 20.26)
• Ordem juízo contra o pecado (Dt 32.25-42; Gn 6.5; Sl11).
 • Amor ao pobre pecador (Gn 3.21; Ex 12.12,13; Is 53.56).

OS NOMES ADICIONAIS DE JEOVÁ SÃO:
01. JEOVÁ- JIREH (Gn 22).O SENHOR proverá:
• Ele proveu um cordeiro em lugar de Isaque
• Provê salvação para o pecador (Is 64.6; Jo 3.16; 14.6: At 4.12
• Provê saúde e cura (Rm 8.11; Is 53.4-5)
• Provê tudo, para suprir nossas necessidades (Fp 4.19; II Co 1.20).
02. JEOVÁ – RAPHA (Ex 15. 16). O Senhor que sara. A doutrina da cura divina é profundamente bíblica. Ela subsiste baseada na autoridade do nome de Deus e de sua palavra. Obediência perfeita aos mandamentos do Senhor produz perfeita saúde e cura divina (Ex 15.26; Dt 28).
Embora nenhum homem tenha podido cumprir integralmente os mandamentos de Deus Jesus conseguiu e assim ele abriu uma conta de credito em nosso favor baseada em sua perfeita obediência. Pela fé podemos tirar o que precisarmos dessa conta.

03. JEOVÁ – NISSI (Ex 17.15-16). O Senhor é minha bandeira.
Existem algumas preciosas lições recolhidas do incidente deu origem á revelação desse maravilhoso nome do Senhor nosso Deus.
A batalha entre Amaleque e o povo de Israel simboliza nossa luta contra a carne (Rm 7).
• Amaleque foi condenado à morte (Ex 17.4; Rm 8.3; Rm 8.6-8; Gl 2.20).
• Poupar Amaleque (a carne) leva a morte (I Sm 15.30; II Sm 1.13)
• Estabeleça uma comparação entre Saul e Davi (I Sm 15.30; II Sm 12.13; Sl 51.4-70.

04. JEOVÁ – SHALOM (Jz 6.24), o Senhor é a paz nesse capítulo há uma revelação do propósito de Deus em estabelecer a  paz após a realização de um sacrifício (Jz 3.19-21; Rm 5.1; Ef 2.14; Cl 1.20).
 Existe a paz de Deus; (Rm 5.10).
 Existe a paz com Deus (Rm 5.1)
 Existe a paz com o próximo (Mt 5.9).

05. JEOVÁ – RAAH (Sl 23) o Senhor é meu pastor.
• Ele é o meu Pastor em Sl 23.
• Ele é meu bom Pastor (Jo 10.9)
• Ele é o GRANDE Pastor (Hb13)
• Ele é o SUMO Pastor (I Pe 5).

06. JEOVÁ – TSIDKENU (Jr 23.6) o Senhor que é justiça.
Qualquer criatura somente pode ser aceita mediante a cobertura da justiça pessoal de cristo. Para Deus não tem qualquer significado a nossa justiça própria, a justiça da religião, as justiças rituais ou qualquer outra. Somente a perfeita justiça de Cristo é verdadeira (Hb 29.22-26; 10.1-10; Rm 3.21-26).

07. JEOVÁ – SHAMMAH (Ez 48.35) o Senhor está ali.
Este nome garante a perpetua presença de Deus em nosso meio. Todo bem para nossa vida esta sempre na dependência da presença de Deus.
• “Irá a minha presença contigo para te fazer descansar” (Ex 33.14,15)
• “Sem mim nada podereis fazer”. (Jo 15.5).
• “Na tua presença a fartura de alegria” (Sl16. 110).
• “Eis que estou convosco todos os dias” (Mt 28.20).
• “Não te deixarei, nem desampararei”. (Hb 13.5).

08. JEOVÁ – JAH. único independente Senhor (Sl 68.4).
09. JEOVÁ – EL.O Senhor Deus (Sl 31.5; Ex34. 6).
10. JEOVÁ – ADON.Deus Senhor (Ne 10.29).
11. JEOVÁ – MEKADSHEEN.O Senhor que santifica (Lv20. 8).
12. JEOVÁ – ELOHEKA.O Senhor teu Deus (Dt 16.6).
13. JEOVA – HOSSENU.O Senhor nosso Deus (Sl 95.6).
14. JEOVÁ – TSEBAOTH.O Senhor dos exércitos (Zc 4.6).

O TERCEIRO NOME DE DEUS É: EL, O PODEROSO: Na língua hebraica El é o nome que designa Deus como o forte, o pioneiro, o poderoso, o primeiro a origem de tudo e de todos.
A primeira menção deste nome ocorre em Gn 14.18.
El ocorre no original mais 220 vezes.
El também aparece acompanhado de outros nomes, cujas composições revelam novas facetas dos atributos e da natureza divina.
Damos a seguir algumas das composições adicionais de EL:
1. ELSHADAI significa: o onipotente o Todo-Poderoso (Gn 17. 1). A primeira menção deste nome ocorre em Gn 17.18. Este nome faz lembrar a atitude de uma mãe com seu filho recém-nascido, porque se origina da palavra hebraica (seio que amamenta), fala da provisão do cuidado e do carinho em que Deus tem dispensado aos seus filhos espirituais. Ele é o Deus que supre as dificuldades de seu povo e lhes proporciona meios para a sua sobrevivência e sua proliferação (Gn 28.3,4; Jo 5.17-25). ELSHADAI cerca de 50 vezes na bíblia sendo 31 no livro de João.

2. EL-OLAM nome que identifica o Deus eterno. OLAM significa oculto, secreto trata de coisas desconhecidas (Lv 5.2; II Rs 4.27).
3. EL- BETHEL o Deus da casa de Deus (Gn 31.13)
4. EL – ELYON Deus altíssimo.
5. EMANUEL Deus conosco, Deus entre os homens (Is 7.14).

O QUARTO NOME DE DEUS É: ELOAH – ELAH, O SER DIVINO: O nome ELOAH aparece cerca de 60 vezes no original; é um vocábulo singular, o singular de ELOAHIM. Ele fala da divindade de DEUS, isto é, define a Deus como o único ser essencialmente divino (Sl 18.31; Jo 4.3,40). ELAH é somente encontrado nos livros de Esdras e Daniel 75 vezes e é uma palavra de origem Caldaica. Corresponde ao ELOAH da língua hebraica e se refere ao Deus vivo e verdadeiro.

QUINTO NOME DE DEUS É: ADONAI, O SENHOR: A palavra ADONAI, vem do vocábulo hebraico ADON, que significa Senhor. O sentido teológico de ADONAI é meu Senhor. Define a DEUS como Mestre, Senhor, Dono de seu povo. ADONAI aparece no texto original cerca de 450 vezes. Ele também aponta para a pessoa de Cristo, o Deus em forma de homem (Is 7.14; Lc 1.35).
Graças a Deus por seus maravilhosos nomes, os quais, em diferentes maneiras, ocorrem nas santas Escrituras cerca de 10.000 vezes. A este nome nossa eterna devoção!

Concluímos comentando sobre os três primeiros nomes de Deus:
1º- ELOHIM, o Deus Criador: Este nome ocorre mais de 2700 vezes no Cânon, principalmente nos livros de Deuteronômio e dos Salmos. Entre Gn 1.1 e Gn 2.2, ELOHIM aparece cerca de 40, vezes.

2º- YHWH, ou Jeová o DEUS da Aliança: Jeová ou Javé Êxodo 3.14. EU SOU O QUE SOU; o Auto-Existente, este nome fala-nos daquele que existe por si mesmo, que não depende de nada É o nome do relacionamento entre o verdadeiro Deus e o seu povo. Seu uso realça a santidade de Deus, o seu ódio pelo pecado e amor aos pecadores. EU SOU O QUE SOU; veio a ser traduzido por Jeová, Deus disse mais a Moisés: Assim dirás aos filhos de Israel: O Senhor, o Deus de vossos pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, o Deus de Jacó, me enviou, a vós; este é o meu nome eternamente, e este é o meu memorial de geração em geração Ex. 3.15.

3º- Adonai: Senhor, Soberano, Mestre. (pronunciado em vez de Jeová). Este nome indica o relacionamento entre o Senhor e o seu servo. São quase sempre usados para substituir o nome Jeová devido ao medo que os judeus tinham em profanar o nome de Deus, eles evitavam pronunciá-lo por isso o substituíram por Adonai.
Os israelitas levavam muito a sério o mandamento de não invocar o nome de Deus em vão. Assim, sempre que aparecia o tetragrama (YHWH, Jeová), o israelita lia Adonai.
O nome YHWH – Shammah, era como o povo de Deus os hebreus chamava Deus, no Antigo Testamento era muito usado por Abraão e Moises é um nome tão sagrado que os verdadeiros adoradores não pronunciavam com freqüência, Jeová, Javé, Yaveh, ou YHWH.

Nenhum comentário:

Postar um comentário