25 de jun de 2011

Coréia do Norte, um dos piores lugares do mundo para um cristão viver
Perseguição de 2008 Classificação os piores Países do nundo para se viver
1º- Coreia do Norte
2º-Arábia Saudita
3º-Irãn
4º-Maldivas
5º- Butão
6º- Iémen
7º- Afeganistão
8º- Laos
9º- Uzbequistão
10º- China
Contrastada com a irmã Coréia do Sul, uma potência econômica da Ásia, e também um país onde o Evangelho está crescendo e missionários sendo enviados para vários países do mundo, a Coréia do Norte vive em total miséria espiritual e material. Desde 1953, a Coréia foi rachada em dois países - Coréia do Norte e do Sul. Os comunistas reivindicaram o norte e estabeleceram uma ditadura comunista, sob a liderança de Kim Il Sung, ‘o líder grande ‘. Quando ele morreu em 1994, seu filho Kim Jong Il subiu ao poder, divinizando a imagem de seu pai e se auto-promovendo. A Coréia do Norte é governada pelo comunismo próprio de Kim Il Dung, o chamado 'JUCHE', uma espécie de administração política na qual Deus fica completamente fora de cena. Os cristãos foram empurrados à clandestinidade e perseguidos como inimigos do estado - eles não podem confiar uns nos outros. Afinal, quem garante que não existe alguém os vigiando secretamente? O país tornou-se uma fortaleza contra o Evangelho.
A maioria dos 23 milhões de pessoas que vivem na Coréia do Norte nunca ouviu o nome de Jesus. Adoram seu líder anterior e atual como se fossem deuses. Para dificultar a entrada de qualquer outra lei que não seja determinada pelo comunismo, os telefones estão disponíveis somente aos oficiais de governo, os rádios são pré-ajustados à estação do estado norte-coreano, a TV é controlada pelo estado, nas eleições há somente um candidato e quem vai visitar a Coréia do Norte, descobre que em seus quartos há microfones e câmeras escondidas. Tudo é vigiado, ninguém entra ou sai do país sem ser rigorosamente investigado. Não obstante a tanta vigilância e proibição, o país tem sofrido uma fome brutal, que passa despercebida pela maior parte do mundo exterior. Estima-se que desde 1995 cerca de três milhões de pessoas morreram por causa da fome.
É extremamente difícil conseguir notícias sobre a região, a Coréia do Norte está fechada ao mundo exterior, nela mandam somente os poderosos e os pobres continuam miseráveis, jogados à própria sorte, pois toda a ajuda de estrangeiros é proibida., nem mesmo a próspera irmã Coréia do Sul pode ajudar sem ser reprimida.

Os poucos cristãos do país são forçados a encontrar-se em grupos pequenos, de três a cinco pessoas. Eles realizam cultos em quartos sem iluminação e de cortinas espessas. Durante os encontros não há música e tudo é feito com o mínimo de barulho, para não chamar a atenção das pessoas na região.
Um refugiado relatou para uma entrevista com a missão, que tinha contato com cinco 'mensageiros' em uma cidade da Coréia do Norte. Ele acredita que a cidade possa ter até três mil crentes. Esse mesmo refugiado contou que participou de um culto numa caverna com 90 cristãos das 3h às 5h da manhã. Alguns viajaram cinco horas para ir ao culto. Isto mostra quão dificultoso é ser cristão em países de extrema perseguição. As pessoas têm espionado umas às outras. Os cristãos são tratados como criminosos políticos. Existe um campo de trabalho completamente cercado e eletrificado. Muitos cristãos estão lá. Eles têm que trabalhar muito duro para produzir material para exportação. Há também muitas fazendas que produzem papoulas para a produção de ópio.
As crianças são doutrinadas desde o maternal. Desde bem pequenas, elas começam a agradecer o ‘grande líder’ [Kim II Sung].' e não são levadas ao conhecimento do Deus criador do céu e da terra, pois têm suas pequenas mentes direcionadas a divinizar seus grandes líderes políticos. A realidade social, política e espiritual norte-coreana assusta o planeta e o país já está na mira da ONU (Organização das Nações Unidas), por causa da suspeita de armas químicas e nucleares. Para esclarecimento, a Igreja da Coréia do Norte deu origem ao reavivamento coreano e já foi considerada a 'Jerusalém do Oriente'. mMs a maioria dos cristãos fugiu para o sul durante a guerra da Coréia ou foi martirizada e as igrejas demolidas. O que se sabe hoje sobre a igreja clandestina, é apenas um pequeno relato de cristãos que fugiram do país ou estiveram por lá durante algum período na clandestinidade. Centenas de cristãos estão em campos de concentração, obrigados a trabalhar como escravos, privados de uma alimentação saudável e de um pouco de higiene.

Milhares de norte-coreanos fogem para a China para conseguir trabalho e exílio político, pois este tem sido um dos poucos meios encontrados pela população para fugir da miséria e domínio comunista. Chegou a hora da Igreja levantar os olhos para este campo e interceder ao Senhor da Seara que envie ceifeiros e abra as portas do Evangelho neste país. Milhares estão morrendo e qual seria a desculpa da Igreja? Aparentemente algumas portas podem estar fechadas, mas Jesus afirmou que as portas do inferno, ou seja, as hostes espirituais não podem deter as portas abertas por Ele, para a Igreja ser vencedora. Ore! E depois de orar, ore novamente, pois só assim saberemos que Deus está levantando homens e mulheres dispostos a pagarem o preço para a salvação destes tão sofridos norte-coreanos. Ore também para que os poucos cristãos do país possam ser fortalecidos e encontrarem meios de evangelizar e ganhar seus irmãos para cristo.
A fronteira que separa a China da Coreia do Norte é uma das mais policiadas do mundo. Minas, radares, mirantes, postos de controle pontuam as margens dos rios Yalu e Tumen para impedir a passagem de desertores. Mesmo assim, o fluxo de refugiados vindos das províncias do norte do reino de Kim Jong-il é constante desde 1995, quando a epidemia de fome, que matou cerca de um milhão de pessoas, provocou o primeiro grande êxodo dos sobreviventes para a China. E agora, alguns desses refugiados fazem o caminho de volta por conta própria, e com uma perigosa missão.

Para além disso, o Cristianismo é considerado uma séria ameaça ao poder do regime existem muitos relatos de Cristãos que são publicamente executados, torturados ou presos indefinidamente apenas por causa da sua fé. Estima-se que haja até 400,000 a 500,000 crentes praticando secretamente a sua fé na Coreia do Norte. Pelo menos um quarto dos Cristãos são encarcerados por causa da sua fé em prisões políticas, das quais as pessoas raramente saem vivas, de acordo com uma fonte local da Portas Abertas.

Classificação de países por perseguição ao cristãos:
Os País
1 Coreia do Norte 90,5 0
2 Irãn 67,5 0
3 Afeganistão 66 1,5
4 Arábia Saudita 64,5 2
5 Somália 64 1
6 Maldivas 63 0
7 Iêmen 60 2
8 Iraque 58,5 0
9 Uzbequistão 57,5 0
10 Laos 56 0
11 Paquistão 55 0
12 Eritreia 55 3,5
13 Mauritânia 53,5 0
14 Butão 53,5 0
15 Turcomenistão 51,5 0
16 China 48,5 0
17 Catar 48,5 0
18 Vietnã 48 0
19 Egito 47,5 0
20 Chechênia 47 0
21 Comores 46,5 0
22 Argélia 45 0
23 Nigéria (norte) 44 2
24 Azerbaijão 43,5 0
25 Líbia 41 0
26 Omã 41 1
27 Mianmar 40 0
28 Kueit 40 6
29 Brunei 39,5 1,5
30 Turquia 39,5 2
31 Marrocos 39,5 0
32 Índia 39 0
33 Tadjiquistão 38 0
34 Emirados Árabes Unidos 37,5 2
35 Sudão (Norte) 37 0
36 Zanzibar (ilha da Tanzânia) 36 0
37 Tunísia 35 0
38 Síria 34,5 0
39 Djibuti 33,5 0
40 Jordânia 33,5 0
41 Cuba 33,5 0
42 Belarus 32 3
43 Etiópia 30 0
44 Palestina 29,5 1,5
45 Barein 28,5 1,5
46 Quirguistão 28,5 0
47 Bangladesh 27,5 0
48 Indonésia 26,5 0
49 Sri Lanka 26 0
50 Malásia 22,5 0
51 Rússia 22,5

Nenhum comentário:

Postar um comentário